November 15, 2016

Please reload

Posts Recentes

Amamentação e Saúde Mental: um diálogo necessário - Parte 2

August 27, 2016

1/5
Please reload

Posts Em Destaque

Amamentação e Saúde Mental: um diálogo necessário - Parte 2

27/08/2016

Escrito por:

 

Por que essa ênfase em abominar mamadeiras, chuquinhas e bicos de silicone?

 

A criança que mama, ela não pega somente o bico do peito, mas a auréola toda, e quando são oferecidos água e chá na mamadeira, a criança já passará a ter dificuldade de voltar para o peito. O mesmo se aplica ao bico de silicone.

 

Nem mesmo durante a noite, para o bebê dormir?

 

De jeito nenhum. Enquanto estiver na amamentação exclusiva, ou seja, até os 6 meses de idade, é totalmente contraindicado. São recomendações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial de Saúde que sempre repasso e enfatizo para as mães.

 

E sobre a quantidade de leite: há crianças que mamam demais ou que têm menos necessidade de leite?

 

O ideal é que a criança mame demais. Aliás, o ideal é que a criança mame na hora que ela quiser. Isso é o que chamamos de livre demanda. Não é a mãe que irá controlar o horário. Existe até um termo que chamamos "lua de leite", comparando à "lua de mel", em que os casais não querem saber de ninguém incomodando, visitas chatas ou algo que atrapalhe a relação dos dois. Na "lua de leite", se o bebê está mamando, esquece o horário, esquece visitas, esquece todas as influências externas. É um momento de dedicação exclusiva ao bebê. No primeiro momento, quem comanda o horário é o bebê. Não existe a informação distorcida de que mamou demais ou que mamou pouco. É a criança que saberá o conteúdo satisfatório da mamada e o tempo que durará. Isso vale até para orientar os pais: existem pais que não entendem esta dedicação exclusiva ao bebê.

 

A figura paterna é importantíssima para a constituição psíquica das crianças. Em determinado momento ele deverá fazer um corte nesta relação mãe-bebê, que será importantíssimo para o desenvolvimento da criança em todas as fases de sua vida. E quanto a vida sexual do casal: como fica?

 

Atrapalha um pouco porque compromete a lubrificação vaginal da mulher. Além disto, é um momento tão da mãe e do bebê que as mães nem lembram de sexo. Muitas das vezes, sequer têm vontade. A cabeça fica tão voltada para a criança que as mães esquecem todo o resto.

 

A sua majestade o bebê?

 

A sua majestade o bebê! Então além da mãe, o pai também deverá se preparar para este momento, que também é de mudanças na rotina do casal e da família.

 

O seio, neste contexto, assume duas posições até bem divergentes: a erótica, voltada para aquele pai que deseja aquela mãe e cujos seios fazem parte da vida sexual do casal, e a que é tida, muitas vezes, como sagrada: o seio como fonte de amor e de nutrição, de contato direto com a criança, símbolo da maternidade.

 

Sim, o ato de mamar é uma das coisas mais lindas. Tanto que quando a mãe amamenta a criança em público, apesar de cobrir, acontece de aparecer o seio, e as pessoas não vêem isto como algo erótico, vêem como uma fonte de alimentação para a criança.

 

Mas existe um movimento que visa a proibir a amamentação em público, em um claro desejo de repressão desta "sexualidade". Há até projetos de lei sendo discutidos.

 

Sim, nos EUA, é proibido amamentar em público. Aqui, no Brasil, ainda não tenho conhecimento de nenhuma lei que proíba.

 

"E isto é bem contraditório, concorda? Há um intenso movimento de erotização de toda a vida e de estímulo quase irrestrito da sexualidade, que atinge desde as crianças até as idades mais avançadas, aplicativos voltados e que incentivam a sexualidade, independente da orientação sexual, programas de televisão que exibem corpos nus ou quase nus, diariamente, para milhões de telespectadores, mas há quem se incomode com um ato que é constituinte da vida de todas as pessoas, um ato instintivo."

 

Continuamos esta "deliciosa" conversa no próximo post. Não perca!

 

 

 

 

Share on Facebook
Please reload

Siga
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Arquivo
  • Facebook Basic Square
  • Google+ Basic Square

Psicólogo Clínico/ Psicanalista Bruno Sampaio - Fortaleza/CE

Psicólogo Clínico formado pela UFC, Pós-Graduando em Psicologia e Sexualidade, trabalha com escuta psicanalítica de adolescentes, adultos e idosos em clínica particular e em contexto hospitalar.

Endereço: Rua Gonçalves Ledo, 777 - Salas 1119 e 1120 - Edifício BS TOWER (esquina com Av. Santos Dummont).

Contatos: (85) 99678-5799 (Marcação de atendimentos); (85) 99910.5967 (Contato do profissional); Email: brunosampaiopsi@gmail.com

Blog Saúde Mental Descomplicada: www.brunosampaioblog.com.br